segunda-feira, 31 de agosto de 2009

.♥.Menininha.♥.



O silêncio da casa é interrompido pelos leves e rapidos acordes de um violão,som desafinado,amador,que surge de um lugar qualquer,uma casa vizinha talvez,o relógio inquieto da cozinha...



Talvez as flores precisem ser regadas.Lá se foi.
A grama verde e um pouco queimada,pinica mesmo sendo macia.No fundo da vista que seus olhos alcançam,plantas e arvores,teias de aranhas brilham com luz do sol,borboletas voam de um arbusto para outro,neles flores...Tão pequenininhas e delicadas quase imperceptiveis,adoraveis,bem ao lado do pé de erva doce.

Um suspiro,um arrepio...Tudo causado por um leve toque do vento,uma brisa que sobrou devagarinho suas costas,mexeu a roupa,e lhe afastou os cabelos de comprimento médio e escuros.Ao piscar dos olhos tudo se alaranjou,sentiu um cheiro forte e marcante de café,pousou a joaninha num falso girassol,se despediu das cigarras que a pouco começavam a cantar.Adentrou-se na cozinha, ferveu àgua, e se dependurou no banquinho torto para pegar uma xícara no armário,acrescentou capim-cidreira na àgua borbulhante e bebeu,aos poucos,calmamente seu chá.

Agora seu short surrado de um um dia de brincadeiras na terra se destina ao cesto junto com as outras peças que vestia.

Invisivel...Inodoro...Mais capaz de acalmar, a àgua quente que corre sobre seu corpo não é tão ràpida como a da chuva nem tão lenta como a da nascente no quintal do sítio, e mesmo assim traz a mesma alegria.

Nos movimentos circulares, agua e sabonete retiram toda a lembrança do pólem, do cheiro das flores,e das arvores frutíferas que sempre insiste em subir.Por fim a esponja lhe sacia,tirando qualquer vestigio dos esbarroes que dera em galhos e troncos.

Envolta na toalha macia recoberta por inteiro, enxuga-se, e seca qualquer gota d'agua.Ainda se vestindo pensa se usa o perfume com cheirinho agradavel de bebe ou o que teu olfato descreve por limao e laranja.Escolhe o segundo.Tudo escuro,grilos cantam suavemente, um livro aberto no chão,dois no criado mudo,tv ligada quase que sem volume algum,em posição desastrada,se espalha na cama procurando conforto e calor.O lençol florido se amassou e saiu do lugar, o conbertor a descobriu...Eu acho que ela esta dormindo...Shhhhhhh.Tão distraida, se esqueceu de regar as flores!





(este lugar é da minha infancia,a casa da minha avó, o sitio com grama e flores,e uma nascente nos fundos,tudo real.)






até dear diary...








PS : eu te amo ♥






Page Graphics










4 comentários:

  1. Florr
    mt obrigada pelo selinho,eu adorei e logo vou publikr tah
    bjoks

    ResponderExcluir
  2. valeu pelo selinho *--*


    arrumei um tempo pra postar ta láa
    vaii dar uma olhadinha ;)
    beijo ;*

    ResponderExcluir
  3. Oie, que lindo post, li tudinho *-*
    tão legal lembrar da infância né? Queria poder voltar aos meus tempos de criança, fui criada numa fazenda, dá tanta saudade ;/
    Agora só restaram lembranças, lembranças de uma infância gostosa :D

    Qual o nome dessa música? e quem canta? adorei ela *-*

    To seguindo você, me segue?

    beijos :*

    ResponderExcluir
  4. Amo seus posts principalmente as frases,e ja so seguidora do seu Blog,continue assim q mt mais gente vai te seguir.Bjos

    ResponderExcluir

Vai cortar minha cabeça?

Related Posts with Thumbnails